Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

13.Out.11

Corrida São Silvestre de Lisboa

A São Silvestre de Lisboa é organizada pelo Clube Olímpico de Oeiras, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e com o apoio técnico da HMS Sports Consulting, Lda. Dia 31 de Dezembro de 2011 às:
  • 17h15, São Silvestre da Pequenada com partida e chegada na Praça dos Restauradores;
  • 18h00, prova principal e prova mini, numa distância de 10 e 5 km respectivamente, com partida e chegada na Praça dos Restauradores.
  A São Silvestre da Pequenada terá três percursos, com partida e chegada na Praça dos Restauradores:
  • Bambis (5 aos 6 anos): aprox. 300 metros
  • Benjamins A (7 aos 9 anos): aprox. 500 metros
  • Benjamins B (10 aos 11 anos): aprox. 700 metros
No 1º escalão a criança poderá ser acompanhada por um adulto. Esta informação deve constar do formulário electrónico de inscrição. São Silvestre de Lisboa - 10 km Partida na Praça dos Restauradores – Praça D. Pedro IV (Rossio) – Rua do Ouro – corte à direita para Praça do Comércio – Rua do Arsenal – retorno no Cais do Sodré – Av. Ribeira das Naus – Av. Infante D. Henrique – retorno junto ao Largo do Museu de Artilharia – Av. Infante D. Henrique – corte à direita para Praça do Comércio – corte à esquerda para Rua da Prata – Praça D. Pedro IV (Rossio) – Praça dos Restauradores – Av. da Liberdade – Praça Marquês de Pombal – corte à direita para Av. Fontes Pereira de Melo – Praça Duque de Saldanha – retorno junto à Av. da República – Praça Duque de Saldanha - Av. Fontes Pereira de Melo – Praça Marquês de Pombal – Av. da Liberdade – Praça dos Restauradores - Meta. Mini São Silvestre de Lisboa – 5 km Brevemente. * O percurso pode ser alterado pela organização sem aviso prévio.
Mais informações em:
http://www.saosilvestredelisboa.com
13.Out.11

Corrida do Tejo

A Corrida do Tejo realiza-se no dia 23 de Outubro pelas 10:00h. A distância é de 10km com partida em Algés até Oeiras. As inscrições têm início no dia 02 de Setembro e terminam no dia 17 de Outubro, ou em data anterior logo que se atinjam as 10.000 inscrições. O valor da inscrição é de 14 Euros, se te inscreveres entre 2 e 30 de Setembro, e de 16 Euros de 1 a 17 de Outubro ou até as inscrições esgotarem. Em ambos os casos, quando te inscreveres, recebes um comprovativo com o qual poderás levantar a tua T-Shirt Dorsal e os teus Atacadores (RED), caso tenhas contribuido para a causa na Divisão de Desporto da Câmara Municipal de Oeiras no Edifício Atrium nos dias 21 e 22 de Outubro, entre as 10:00h e as 19:30h. Não te esqueças que apenas algumas horas após o final da prova, poderás consultar as classificações neste mesmo endereço. Mais informações em: http://www.corridadotejo.com
12.Out.11

Maratona do Porto

Organizar uma Maratona não é tarefa fácil e correr uma Maratona também é algo que exige de nós muito e muito trabalho de treino, sobretudo com base num bom planeamento, por forma a que no dia do evento tudo nos corra pelo melhor e com o maior prazer possível. A EDP Maratona do Porto com os seus 7 anos de vida, presta-se agora a iniciar a sua campanha de divulgação, com vista à 8ª Edição. Tal como no passado, pretendemos fazer desta EDP Maratona do Porto um evento de referência nacional e internacional. O grande número de atletas, provenientes de muitos e variados países que fazem questão de se inscrever, dão ao evento um cada vez maior cunho de qualidade, a qual sempre perseguimos, por forma a tornar a EDP Maratona do Porto sempre muito participada. A prova realiza-se no dia 6 de Novembro de 2011 pelas 09h00, na Cidade do Porto, com partidas no Palácio de Cristal e chegadas no Parque da Cidade (Av.da Boavista). O tempo máximo de duração é de 6 horas, sendo que às 15:00 horas será a hora limite para fim da Maratona. O percurso da EDP Maratona do Porto é um dos seus maiores atractivos, uma vez que muitas são as opiniões que o colocam entre um dos mais belos do Mundo. Mais informações no site oficial da prova: http://www.maratonadoporto.com/
12.Out.11

2ª Corrida e Caminhada dos Ossos Saudáveis

Entre nesta corrida para ganhar! Todos sabemos que a actividade física e uma alimentação rica em cálcio ajudam a prevenir a osteoporose. Fazer exercício ao ar livre permite ainda desfrutar do sol que é uma fonte de vitamina D, tão importante para fixar o cálcio nos ossos. Para juntar o saudável ao agradável e ainda comemorar de uma forma activa o Dia Mundial da Osteoporose, a APO convida todos os portugueses, de todas as idades, a participarem nesta prova de incentivo ao desporto em família! No dia 16 de Outubro, a correr ou a caminhar, faça da Rotunda da Boavista ao Palácio de Cristal o seu percurso contra a osteoporose. E não se deixe enganar : é de pequenino que se deixa a osteoporose pelo caminho! Aproveite ainda este evento para fazer um rastreio e para receber aconselhamento nutricional no Palácio de Cristal.
11.Out.11

O que levar para uma corrida

A minha última corrida e as muitas provas que se aproximam no calendário, levaram-me a procurar este útil artigo sobre como preparar com antecedência o material necessário para uma corrida. Prepare a mochila no dia anterior e pense cuidadosamente sobre o que vai precisar. Fazê-lo no próprio dia é sempre um erro - o nervosismo pode levar a melhor e fazer com que se esqueça de algo. Siga a lista (mais abaixo) - pode não precisar de tudo o que consta nela, mas o essencial são os líquidos, alimentos para depois de correr, uma toalha e uma muda de roupa. O seu número de corredor (pois não pode participar sem ele) e alfinetes-de-ama para o prender à camisola. Roupas para correr - top ou colete, calções ou calças, sutien desportivo, casaco, chapéu, luvas e meias adequadas. Mochila leve: para transportar bebidas, lenços, pensos, alfinetes-de-ama e outras coisas. Saco-cama grande: caso esteja muito frio e precise de se enrolar nele no final da corrida. Sapatilhas para correr: e um par sobresselente para emergências. Vaselina: para lábios gretados ou outras zonas irritadas. Analgésicos: caso venha a precisar depois de correr. Roupas secas: para vestir depois da corrida. Bebidas e barras energéticas. Óculos de sol e protector solar. Leitor de música: se gostar de usar. Cronómetro ou relógio de desporto. Garrafa de água ou bebida isotónica. Lenços. Pensos rápidos. Toalha.   Fonte: Corra pela sua saúde, Rachel Newcombe, Caracter Entertainment
10.Out.11

Relato da minha primeira maratona: Munique 2011

Assim foi a minha primeira maratona. Fiz tudo para que corresse bem: treinos, alimentação (não esqueci os hidratos de carbono no jantar da noite anterior), suplementos, hidratação, duplo par de meias e vaselina nos pontos críticos... nem esqueci o meu gel e as barrinhas energéticas durante a corrida, a qual tudo teve para comer e beber: água, bebidas isotónicas, bananas, barrinhas energéticas, isto num total de 16 postos de abastecimento... enfim, um evento muito, mas muito bem organizado.  

Do início até aos 10 kms

Linha de partida para a maratona de Munique Iniciei a corrida no meio de um mar de gente, ainda bem longe do pórtico de partida, colado ao (à) pacemaker das 4:00 horas. Para quem, como eu, não conhece este sistema, os pacemakers são pessoas que a organização coloca no meio da corrida e que indicam o tempo que vão fazer na prova, através do vestuário e de um balão que levam consigo. Assim, quem quer fazer 4:00 horas, já sabe que só tem que ir com aquele pacemaker. Há para todos os gostos, desde os que fazem 4:30 horas e vão de 15 em 15 minutos até às 3:00 horas. Pacemaker da maratona de Munique Estive no grupo da segunda partida, que se deu cerca de 10 minutos depois da primeira partida, sempre acompanhadas de música (Carmina Burana) e de uma contagem decrescente em uníssono e... em alemão. Dado o tiro (literal) de partida, fiz os primeiros kms com o grupo da pacemaker das 4:00 horas, nas calmas (sempre a tocar nos 5'50 mins/km) e sem qualquer tipo de dificuldade, a ambientar-me ao frio e ao equipamento novo: as mangas e as calças de compressão, que se revelaram duas compras essenciais. Bebendo e comendo sempre um pouco de tudo nos postos de abastecimento (lá diz o ditado que "grão a grão, enche a galinha o papo"), comecei a afastar-me do grupo antes de chegar aos 10 kms, a meio de uma zona muito calma e bonita de jardins no norte da cidade: Englisher Garten, onde a maior parte dos corredores aproveitaram para deitar fora os líquidos em excesso. Aqui a sensação que eu tinha era que neste tipo de ambiente, com muita muita gente a apoiar em todo o lado nas ruas, à porta das suas casas, com campainhas, tambores e tudo o que tinham para fazer barulho, com pórticos onde a organização passava música (grandes selecções musicais), bandas de todos os géneros... enfim, neste tipo de ambiente é muito fácil correr, senti-me sempre impulsionado por uma mão invisível que ora me dizia "corre mais rápido", ora me dizia "gere o esforço". E acabei a fazer um pouco dos dois.  

As passagens dos 20 kms e dos 30 kms

Ao chegar aos 20 km ainda me sentia bem fresco, comi o meu segundo gel e mantive o passo dos 10 km anteriores, pouco mais de 5 mins/km, sentindo o corpo agora bem aquecido e divertindo-me sempre com o fantástico ambiente à minha volta. Já na zona sul da cidade senti que podia gerir bem o esforço e aumentar um pouco mais a passada. Assim, aos 30 km comi a minha barrinha energética e, como já não tinha mais energéticos comigo e já só ia contar com os dos postos de abastecimento, comecei a puxar um pouco mais, mantendo-me sempre abaixo dos 5 mins/km. Apesar das pernas aqui começarem a ressentir-se mais, o meio meio de comparação era com o Passeio Marítimo de Oeiras, ou seja, para mim, nada mais simples do que repetir algo que tantas e tantas vezes fiz, que são os 10 km da praxe, a um ritmo rápido e com carga nos músculos dada pelos treinos dos dias anteriores. E assim levei a corrida até ao fim...  

O final...

Os últimos 5 km e, principalmente, os últimos 2 km foram... ufff!!! Inesquecíveis... a adrenalina que toma conta de nós à chegada à zona do estádio, de onde se ouvem todos os sons, música, multidão, tudo... as pernas correm ainda mais do que julgávamos serem capazes e é ali que se dá o tudo por tudo e se esgotam todas as reservas que ainda sobram. Feita a curva à direita ficamos com o túnel de acesso ao estádio bem à nossa frente, escuro mas cheio de luzes, tantas que mais parecia uma discoteca. Trata-se de um pórtico que mais parece uma discoteca, cheio de animação e flashes onde as máquinas automáticas tiram fotos aos corredores que vão entrando no estádio e onde todos aproveitavam para fazer as suas poses de verdadeiros campeões! E depois vem a sensação maior, que é sair do túnel e entrar no estádio... onde a minha irmã e a Inês aguardavam para me atirar a bandeira nacional, com a qual voei até à meta montada uma volta depois em plena pista. Terminei com 3 horas e 38 minutos... Que posso dizer? É uma sensação inesquecível, correr com muita cabeça e com muita emoção do início ao fim de um evento assim é recomendável pelo menos uma vez na vida a qualquer Ser humano. Não só pelo bem estar físico que proporciona a corrida, mas mais até pela oportunidade da partilha, do convívio, dos exemplos de camaradagem e entreajuda a que se assiste. Como se durante aquelas horas tivéssemos o privilégio de viver num mundo perfeito, onde tudo funciona, tudo encaixa, tudo trabalha (e trabalhou) no mesmo sentido. Foi o cumprir do objectivo traçado há muitos meses atrás, foi a minha primeira maratona e com certeza que não será a última... venham novos e renovados objectivos!
08.Out.11

Já valeu a pena!

Daqui a 13:30 horas estarei na linha de partida a iniciar os 42,195 Kms da Maratona de Munique.

Foi um percurso de alguns meses, algumas corridas, muitos treinos, uns melhores outros piores, uma dor no joelho e uma (só) ligeira constipação, muita família e muitos amigos pelo meio, muito compromisso e muito apoio dos que, mais de perto ou mais de longe sempre estiveram presentes com uma palavra amiga.

Corra como correr (literalmente), por tudo isto e muito mais que o nervoso miudinho não me deixa agora relembrar, garanto-vos que já valeu a pena, só pelo percurso que percorri até estar hoje aqui presente, com as minhas borboletas na barriga, em contagem decrescente para a prova de amanhã.

A todos um abraço com sorrisos e... até amanhã!!!
07.Out.11

Maratona de Munique

42.195 kilometres through the heart of Munich – the marathon distance Taking part in the MUNICH MARATHON is more than just a personal challenge because you can run 42.195 kilometres (almost) everywhere. With the start in the Bavarian metropolis you link the sporting event with an architectonic experience, the best performance in terms of the run with aesthetic pleasure. Alone a glance at the route along world famous Munich sights such as the Olympic Park, the English Garden, Marienplatz with the town hall, past the Opera House and the Residence, the famous Pinakothek art galleries, across Odeonsplatz to Siegestor, then continuing across Leopoldstrasse and through the heart of Schwabing back to Olympic Park shows the uniqueness of the backdrop to the MUNICH MARATHON. When you reach the finish goose bumps are guaranteed: the large marathon gateway awaits you with a curtain made of mist, music and coloured light. You pass through this curtain onto the last 400 metres of your MUNICH MARATHON: one lap of the Munich Olympic Stadium. http://www.muenchenmarathon.de/en.html