Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Ter | 02.08.16

Será que o equipamento de compressão funciona mesmo?

José Guimarães
Uma das coisas boas de estar de férias é que potencialmente temos mais tempo disponível para ler. E para nos informarmos sobre coisas que eventualmente suscitam algumas dúvidas. Como é este caso. Li na Trail Runner Magazine do mês passado um artigo interessantíssimo e pouco ou nada conclusivo sobre o equipamento de compressão e a sua real utilidade para a malta que corre. Realmente parece que foi algo que veio para ficar. É raro o corredor (e quanto mais longas e duras as provas, mais se usa) que não corre pelo menos com as suas meias de compressão, as chamadas "caneleiras", ou um modelo qualquer de calções de compressão. Muitos atletas usam vestuário de compressão nas corridas, ou para recuperar, ou até mesmo para viajar. Mas, tal como estes que usam, outros tantos alegam que tal equipamento não faz efeito nenhum. Então quem estará certo? Vejam um excerto do artigo e percebam por vós próprios:

Viagens

O sangue, tal como todas as outras coisas, à excepção do Kilian Jornet, está sujeito à lei da gravidade. Como resultado, pode acumular-se nos pés e nas pernas, reduzindo o fluxo sanguíneo e atrasando a eliminação de resíduos "tóxicos". Durante as viagens, as diferenças de pressão e a falta de movimento, fazem com que os fluidos se acumulem nas pernas, originando fadiga e a sensação de pernas pesadas, bem como doenças agudas, como tromboses, etc. Durante a atividade, temos uma "bomba" que faz com que o sangue regresse ao coração. Durante o descanso, a compressão pode ajudar neste processo, reduzindo a acumulação de fluidos e minimizando o risco de tromboses.

Recuperação

Recuperar depois de uma corrida implica sempre duas variáveis. A dor generalizada, que é a resposta a um fenómeno físico e é parcialmente dependente do estado psicológico do corredor. Os danos e inflamações musculares, que são respostas fisiológicas ao stress físico e podem ser medidas de forma objetiva. Enquanto não há ainda muito acordo nos estudos feitos sobre a compressão, há alguns padrões importantes. Usar vestuário de compressão depois de uma atividade reduziu de alguma forma os danos musculares e inflamações. No entanto, o maior efeito observado foi ao nível da percepção de dor generalizada e fadiga muscular. Por outras palavras, o efeito fisiológico é pequeno, quando comparado com o efeito psicológico.

Performance

Um dos elementos chave para correr bem e depressa é a economia de energia. Para ver como a compressão pode ajudar a economizar energia enquanto se corre, podem pensar em garrafas de vidro embrulhadas em plástico bolha durante um transporte. É menos provável que se partam. Em teoria, a compressão, quando usada durante o exercício, pode funcionar da mesma forma, reduzindo as forças absorvidas pelos músculos e melhorar o trabalho de contração. Na prática, usar vestuário de compressão durante o exercício tem um efeito positivo na energia consumida, bem como na percepção do esforço e no efeito do lactato. No entanto, não tem impacto em outras variáveis importantes, como o consumo de oxigénio, batimentos cardíacos, volume e, mais importante, velocidade de corrida. É importante também usar o tamanho certo de vestuário, por forma a não usar demasiada compressão, já que isto pode impedir que o sangue flua adequadamente e até mesmo cortar a circulação sanguínea. Um fator negativo na utilização de vestuário de compressão é um aumento moderado da temperatura corporal. O vestuário de compressão pode reduzir o efeito refrescante da transpiração, não permitindo ao corpo arrefecer tanto, principalmente em corridas maiores, onde pode originar sobre-aquecimento e comprometer a performance.

O veredito final

Então em que ficamos? É benéfico ou não usar vestuário de compressão? Há benefícios registados, principalmente em viagens e processos de recuperação, mas continua a não haver uma resposta definitiva. Portanto o melhor será mesmo descobrirem o que resulta melhor para vocês e ir por esse caminho. Se têm uma tendência para aquecer, se calhar usar compressão pode não ser uma boa ideia. Mas se vão correr com tempo frio ou já comprovaram que usar vestuário de compressão faz com que economizem energia a correr, então usem sem problemas. Fonte: Trail Runner Magazine
Ter | 02.08.16

A importância de fotografar o antes e o depois num processo de emagrecimento

José Guimarães
Qual é a ideia de fotografarmos o antes e depois de um processo de emagrecimento? Basicamente, este simples gesto pode fazer parte de uma estratégia vencedora que permita monitorizar mais atentamente a evolução num progresso de emagrecimento e servir de incentivo e motivação para atingir os objetivos traçados. Claro que as fotografias devem estar inseridas num plano maior que nos exija anotar as tendências do emagrecimento e que inclui uma série de passos importantes. Engordar é fácil, emagrecer é difícil, e por vezes quando se inicia um plano de emagrecimento desanimamos por não vermos os resultados pretendidos com a rapidez com que desejávamos. Mas uma monotorização semanal e, sobretudo mensal, permite que se consiga dar conta de mudanças que normalmente não notaríamos caso só olhássemos para a balança, acrescentando motivação. Assim, as fotografias devem ser feitas num determinado dia do mês, depois de se terem apontando as oscilações semanais de peso à segunda-feira, antes do pequeno-almoço – e após eventuais excessos do fim-de-semana – e à sexta-feira. As fotos mensais vão ajudar a ver a diferença pela qual o corpo está a passar, permitindo ver melhor o progresso de um corpo mais definido e os verdadeiros resultados. As mesmas, no entanto, devem ser acompanhadas pela medição das medidas e análise da percentagem de gordura perdida. A ideia é acompanhar de perto a perda de cada centímetro e analisar um conjunto de dados que comprovem que a perda de peso é feita com qualidade. Tirar fotos mensais pode ser uma verdadeira injeção de ânimo e uma revisitação aos ideais que tenha traçado para si próprio, bem como o registo da força de vontade e da superação, que deixa bem claro os efeitos do seu esforço. Para além disso, pode também ser uma fonte de inspiração para muitas pessoas que desejam alcançar o mesmo, que as usem como incentivo para conquistar o corpo e a saúde que sempre quiseram, funcionando com um pontapé inicial. Se o vosso objetivo é perder peso, comecem já hoje por tirar algumas fotos do antes e depois para estimular um novo começo. Para o fazer com classe e cheio de estilo, podem até fazer uma sessão fotográfica com um profissional para olhar ainda com mais satisfação para a vossa evolução. Vão ver que com muita garra e força de vontade, em apenas alguns meses estarão a comparar resultados e a vibrar com as vossas conquistas!