Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Qui | 25.08.16

Porque é que dormir é tão importante e como o podemos fazer bem?

José Guimarães
Ter uma boa noite de sono é muito importante para a nossa saúde, tanto a física como mental. Se todos nós sabemos isto, então porque é que a maior parte de nós não dorme o suficiente? Dormir ajuda o nosso cérebro. Depois de uma boa noite de sono, conseguimos aprender mais facilmente. Conseguimos lidar mais facilmente com os assuntos do dia a dia, sentirmo-nos menos stressados e menos deprimidos. Fisicamente, todas as pesquisas continuam a ligar a falta de sono a um maior risco de doenças cardíacas, obesidade, entre outras. E todos sabemos que descansar - logo dormir bem - é parte essencial de um bom programa de treinos! Percebam então porque é que é tão importante apostar em dormir bem e como o fazer:

Quanto tempo é que devemos dormir?

A regra de ouro diz entre 7 a 8 horas. Todos conhecemos aquelas pessoas que conseguem dormir bem menos do que isto e, mesmo assim, ser produtivas. Mas isto não é a norma. E o tempo que dormimos muda conforme a idade.
  • Recém-nascidos: 16 a 18 horas por dia
  • Idade pré-escolar: 11 a 12 horas por dia
  • Idade escolar: Pelo menos 10 horas por dia
  • Adolescentes: 9 a 10 horas por dia
  • Adultos (incluindo os mais velhos): 7 a 8 horas por dia
Infelizmente também não é possível recuperar sono perdido. Se dormirem 1 ou 2 horas a menos esta noite, é tempo perdido para sempre. Algumas pessoas gostam de chegar ao fim de semana e dormir mais para recuperar o sono perdido. Não é possível.

Como tornar a cama mais confortável para dormir?

Lembrem-se para que é que a cama serve: para dormir... e para momentos íntimos. Não é para ver televisão ecomer pipocas. De facto, todo o quarto deve estar configurado para maximizar o sono:
  • Mantenham o quarto escuro.
  • Mantenham o quarto fresco. Nem demasiado quente, nem demasiado fresco. Na dúvida, optem por temperaturas mais baixas.
  • Mantenham o quarto silencioso. Nem música, nem ruídos. A ter algum tipo de som, só música muito calma e baixinha.
Depois de se deitarem e apagarem as luzes, dêem uns 20 minutos para adormecer. Se não conseguem adormecer em 20 minutos é preferível levantarem-se. Saiam da cama. Não fiquem na cama, a ver televisão ou a usar o telemóvel. Quando se estiverem a sentir novamente com sono, voltem para a cama e tentem novamente.  

Como é que a televisão e o telemóvel afetam o sono?

O brilho dos dispositivos eletrónicos afeta o sono. Tirem-nos JÁ do vosso quarto!!! As luzes destes dispositivos perturbam o ritmo circadiano (o nosso relógio interno) e interfere com o nosso conceito inato de dia e noite. os telemóveis, televisores, iPads, etc, tudo interfere com uma boa noite de sono. Quando dormimos, é importante não sermos perturbados por nada.  

O que usamos para dormir tem importância?

Não interessa muito focarem-se no que usam para dormir. Usem o que for confortável. Usem o que vos deixa bem dispostos e aconchegados para uma boa noite de sono.

Que alimentos podem prejudicar o sono?

A cafeína e o álcool devem ser evitados. A cafeína porque é um estimulante e não deve ser consumido próximo da hora de dormir. E o álcool, apesar de inicialmente parecer ajudar porque atua como um sedativo, acaba por nos afetar durante o sono e deixa a maior parte de nós sonolento durante o dia seguinte. Mas há bebidas que ajudam a dormir, como o chá e leite morno, um chá descafeinado como camomila. Qual é a vossa rotina de sono? O que é que vos provoca mais dificuldades em adormecer, ou em ter uma noite tranquila? Costumam ver televisão ou usar o telemóvel na cama? Deixem os vossos comentários mais abaixo. Fonte: Livestrong  
Qui | 25.08.16

A verdadeira razão pela qual você se sente sempre cansado

José Guimarães

Do you guys remember Mike Tyson’s white tigers?

Those rare creatures were just a few of the small (and not so small) luxuries on which Tyson blew his tremendous boxing fortune. He also bought six mansions, more than 100 fancy vehicles, and a $2 million bathtub supposedly made of gold...but it’s the tigers I can never forget. There’s a picture of Mike Tyson that will stay with me forever. He’s posing in a jungle landscape, wearing nothing but a loincloth and baby oil, holding one of his two majestic white tigers by a chain. To my eye, he looks at once manic, defensive, and really, really tired. I promise I’m going somewhere with this. Have you ever been really, really tired? For most of my life, I was. All the time. For years, I struggled with the terrible problem of never having enough energy. My reserves were next to zero. I was always the first person to get sick during flu season, to quit on a hike, to leave the party and go home to bed. Once, I fell asleep in a lake. I was just standing there, up to my chest in cold water, and I dozed off from sheer exhaustion. Not easy to do, but I managed it. I worried that I had a metabolism problem, or a thyroid issue, or a brain tumor. Or perhaps I needed a better mattress? Or more flaxseeds? It wasn’t the flaxseeds. In fact, my problem was not that I had low energy at all; you could probably power a small city off my natural reserves of enthusiasm. My problem was that I had been squandering it. I spent years pouring my precious attention down a suckhole of exhausting behaviors, which included (but were certainly not limited to) engaging in unhealthy sexual relationships, clinging to toxic friendships, pretending to be somebody I was not, trying to please people who could never be pleased, trying to save people who could never be saved, trying to persuade people who were never gonna love me to love me, faking happiness during times of misery, and saying yes when what I actually meant was no. That’s all very tiring stuff. Honestly, it’s no wonder I was so epically wiped out. But for me to have depleted myself in this fashion and then walk around saying “I have no goddamn energy, man!” is very much like that time Mike Tyson complained to Larry King, “I have no goddamn money, Larry!” No, Mike Tyson—you earned plenty of money, but you spent it on white tigers. Likewise, Liz Gilbert, you were given plenty of energy, but you chose to expend it on incredibly foolish things.

We all have our own white tigers. And by that I mean we all have some very dangerous pet pathology that is capable of devouring our lives, and utterly depleting our energy, if we are not careful. Your tigers might be addiction, or codependency, or workaholism, or rage, or perfectionism, or blame, or gambling, or an eating disorder—I don’t know. But I do know, from my own experience, that when I am living sanely, my energy flows freely. So if my energy isn’t flowing freely, I know I need to once again ask myself: What are my white tigers right now? What craziness have I chained myself to this time?

Once I’ve identified my tigers, I have an important choice to make. I can double down on my current madness and keep pretending that dragging a pair of rare white tigers around is a perfectly normal thing to do, or...I can drop the chain and simply let those tigers go. Now, let’s get serious here: The only way to rid yourself of your own cumbersome beasts is to tell the truth about your life. Tell the truth about your addiction, or codependency, or workaholism, or rage, or perfectionism, or blame, or gambling, or eating disorder—whatever it is that’s sucking you dry, come clean to yourself about it and the dire effect it’s having on your life. Once you do that, your energy will begin to return, in the form of power. Not the fake kind of power that comes from perpetuating some unsustainable myth about yourself (or from, say, purchasing a $2 million bathtub). I mean the power that comes from standing in your truth and embracing the desire to be fully, finally restored—and energy-rich—for the rest of your days. Elizabeth Gilbert is the author of, most recently, Big Magic: Creative Living Beyond Fear (Riverhead). Fonte: http://www.huffingtonpost.com/entry/the-real-reason-youre-so-tired_us_57b1eecde4b007c36e4f7014